Elogio da Serenidade em Norberto Bobbio

No final da semana li uns trechos de Norberto Bobbio, sobre ética e serenidade. Mais precisamente, li ” Elogio da Serenidade”. Reflito sobre minhas ações.
Quero ser sempre ética, correta, manter o pensamento ordenado para não emitir julgamentos sem conhecimento, para não apontar falhas no que não posso ver, para não culpar por preconceito. Bobbio fala sobre o preconceito e diz que devemos compreender antes de julgar, pois o preconceito é um juízo prematuro, derivado de uma crença falsa que provoca opiniões errôneas.
A serenidade resvala o território da tolerância e do respeito pelo pensamento e pelo modo de viver dos outros. E eu quero exercitar a tolerância, numa prática diária, como um método que implica o uso da persuasão diante dos que pensam diferente, sem imposição.
Meu pensamento é livre e minhas atitudes decorrem das minhas crenças e deixo sempre muito claro meu posicionamento, minhas concepções éticas, meu respeito pelas diferenças. Citando a moral kantiana diria que ‘ respeito o homem como pessoa`.
Ser serena é ser tranquila, mas nem um pouco submissa ou concessiva. Permito ao outro ser o que ele é, e nessa lógica, não há máscara para o que sou.

Certo que Bobbio me inspira. Quando eu quis compreender Marx, li Bobbio; para entender o vocabulário político, recorro a Bobbio. Enfim, Norberto Bobbio destaca uma qualidade que vejo, modestamente em mim, a serenidade! Esta virtude que adquiriu ao longo do texto, a qualidade de uma virtude feminina e que Bobbio reconhece como a mais “impolítica” das virtudes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s