O conflito entre ser e ter

Estamos sempre esperando conseguir o trabalho perfeito, esperando perder peso, esperando a permissão dos pais para sair de casa e começar a própria vida, esperando encontrar o sr. ou a sra perfeita, esperando nos livrar das dívidas antes de começar a carreira dos sonhos, esperando encontrar um propósito na vida, a espera de alguém, em algum lugar para dizer o que é importante, esperando alguém para nos mostrar como fazer diferença no mundo. Enfim quando vamos começar a viver em vez de apenas existir?
Temos medo de assumir nossas escolhas e algo sair errado. Tememos assumir um caminho e este não nos levar a realização. Razão, pela qual nunca estamos completamente satisfeitos com o que está acontecendo conosco no momento. Na verdade, a ideia de que precisamos de algo que não temos é a raiz do nosso descontentamento. Mesmo pessoas que alcançaram tudo o que sempre sonharam, sentem que há algo faltando. Estão tão acostumados esperar por algo mais, que tudo é insuficiente.
Cultivamos o hábito de sentir insatisfação, a tal ponto que isso tornou-se uma norma. Isto vale para ricos e pobres, por mais solitário ou extrovertido que sejamos. A percepção da falta inerente do que está sempre fora de alcance, serve apenas para garantir doses diárias de sofrimento.
Não há nada de errado com o desejo, no entanto, se você mudar sua atenção para o que você é, ao invés o que você acumulou, e se concentrar em viver este momento em sua plenitude, em vez do sofrimento causado pela ausência de seu desejo, você estará aberto para receber, para realmente ver tudo que a vida está lhe trazendo em cada momento. O estado de ser é o que importa, é o que pode trazer alegria. Não é o que conseguimos ter na vida que deve nos trazer contentamento, ele não depende de circunstâncias externas.
Observando as articulações da mente, podemos descobrir que quando sentimos que algo está faltando, não descansamos até que tenhamos conseguido isso, esse artifício é apenas uma desculpa para não estarmos plenamente vivendo o presente. É sábio viver no presente porque isso é tudo que temos. O futuro é algo para se olhar lá na frente e não é algo a ser temido. É simplesmente um lugar que ainda não chegamos; então tudo o que temos é o agora.
Não deveríamos viver em espera. Esperar pode ser um convite para a decepção.
Talvez devêssemos aprender a estimar tudo o que temos, afugentar o hábito de sentir insatisfeito, que tem se tornado comum em nossas vidas. Isto é verdade para os ricos e os pobres, para os solitários ou seres sociais que circulam entre nós.
Se você se concentrar no que você é em vez de no que você tem e experimentar este momento em sua plenitude, o objeto de seu desejo vem a ti, vem por si só. Ser é a coisa mais importante, porque é o que vai lhe trazer alegria. Isso não significa que eu não tenho mais metas ou projetos: isso significa apenas que a minha realização não depende mais só de resultado. Agora, eu coloco toda a minha paixão em criar e explorar minhas buscas, mas se algo não sair como planejado, com paciência recomeço.
Quando você se vê procurando distrações, enfrentando o desconhecido. Esteja contigo mesmo, sem qualquer muleta. Não se apegue a ilusões. Mergulhe fundo, e, em seguida, mais profundo. Conheça a si mesmo. Esta é a única coisa que você realmente necessita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s