Há muito a considerar

Sob todas as perspectivas, gostamos de ser elogiados, nunca criticados. No entanto, os seres sublimes não são movidos por elogios ou críticas. Isto é o que você tem que almejar também. Seja sempre verdadeiro. Mostre-se em seus excessos, suas carências, nas atribulações do dia-a-dia, as pequenas e grandes imperfeições.

Não haveremos de encontrar uma vida perfeita. Há dias de contentamento, dias de lágrimas, dias de ser forte, dias de praticar a tolerância. Ao longo da vida acumulamos conhecimento, paixões e perdas. Não prometa, tenta ser um pouco melhor a cada dia. Não lamenta, procura compreender e aceitar. Além do que somos, do que pensamos, do que queremos há uma infinidade de pequenas coisas a considerar.

Sombra do mal

O homem caminha atento, afoito

Prepara o golpe preciso.

Um olhar sem aviso e fim…

Todos os sentimentos morrem em mim.

Quando as forças colidem

Faço-me fraca,

Porque não sei ser o que abomino

A força bruta, o jogo,

A ignorância, o veneno.

Homens que caminham em disfarces

São sombras do mal que ainda não fizeram.

Nem tudo em mim é sinônimo

Pois que a doçura some,

Meias palavras são pronunciadas

Como ação profilática para afastar o mal.

O que inspira a razão

Nem sempre são motivos reais,

Vez são sutis

Outras, puro caos.

O que prego, o que sou

Inevitavelmente a hora chega.
É preciso assumir os planos e viver o que pregamos.
Se queremos ser felizes, falemos de felicidade, façamos outros felizes
Para transformar a vida, comecemos moldando nosso interior,
flexibilizando as ideias radicais.
Aceitando o imponderável como fruto do amadurecimento.
Fugir até quando esgotar o medo, até contar o último segredo.
Agora, nada mais impede.
O caminho se abre diante dos passos largos e firmes.
Não ser sombra, não ser vontade.
Ser livre, ser inteira!
Abracar o dia com alegria,
tratar os seres, humanos ou não, com gentileza.
A hora para mim chega, assim precisa ser
Não posso fugir de mim mesma.